Latest News

As Cidades Asilo

Por outro lado, as populações jovens, criativas, inovadoras, tendencialmente integram os contingentes desse êxodo, deixando para trás o campo, a província, as pequenas cidades, onde se acentuam as diferenças demográficas. Resistem as camadas de cidadãos mais envelhecidas, acomodadas, com poupa propensão para o risco, para a inovação e empreendedorismo.

0

Pai! Mãe! Criei uma Start Up (I)

Este movimento Startup está também a ser o motor de muitas cidades no mundo e, como é óbvio, também em Portugal, pois o simples facto de muitos jovens brilhantes se deslocarem para os ecossistemas criativos em busca da sua oportunidade dourada, faz com que a massa crítica se desenvolva nessas cidades e deixe outras na penumbra. E as cidades adoptam este sistema, alimentam-no, colocam todos os holofotes nos nichos que mais cedo ou mais tarde podem vir a degenerar numa coisa bem pior que jovens endinheirados e bem sucedidos. Fazem-no porque politicamente também precisam mostrar resultados, que as coisas estão a melhorar, que o desemprego diminui e que temos “jovens de sucesso garantido”.

0

A “semana mais inteligente” acolhida em Toronto

Smart Week lasted 3 days and took place at the University of Toronto and Investigation Centres of worldwide importance such as MARS. To ally medicine to technology, the city, the citizen and the part that concerned me most: tourism, was a great step forward for the globalized world for both its problems and its solutions. If we will be able to humanize technology or if technology will make us “machines” only the future can tell, but seeing what is happening in the world, the trend is towards a Smart City which is more human than technological in contrast to what has happened in the past. Before humanity needed technology, nowadays, more than ever, it needs humans.

0

Portugal vai ter selo “Smart Project for Smart Cities”

O selo será apresentado no próximo grande evento organizado pela INTELI, marcado para o próximo dia 24 de Outubro em Vila Nova de Gaia. Sob o título ‘Smart Cities, It’s all about People’ esta conferencia internacional assume que tem sido dado, na comunicação atual, pouco ênfase à dimensão humana das cidades que muitos consideram que devem ser optimizadas para um ecossistema de hardware e software. Contudo, a INTELI entende (e vai fazer notar isso nesta conferencia) que há uma oportunidade para o crescimento de mercados inovadores que desenvolvam economicamente as cidades, as regiões, os países. Assume mesmo que existe, atualmente, uma “visão neoliberal e pró-tecnológica” que privilegia o investimento em infraestruturas “caríssimas” tanto nas atuais cidades como nas novas e emergentes localidades em todo o globo.

0

Smart Sodoma e Smart Gomorra

As Smart Cities pedem cidadãos inteligentes, pelos vistos, com o passar dos milénios, os exemplos de boa conduta, hospitalidade, compaixão, bondade e ajuda ao próximo deixaram de ter fronteiras de cariz sexual ou comportamental. Porque afinal de contas poderá muito bem ter sido este um dos pecados de Sodoma, porventura mais grave que os de cariz sexual e que deu origem a todas as conotações com a cidade ancestral.

0