Rede Ibérica de Cidades Inteligentes

Captura de ecrã 2013-11-2, às 12.00.36Depois de contactos e reuniões preparatórias ao longo dos últimos meses, será oficializada em Barcelona, durante o Congresso Internacional “Smart City Expo World (www.smartcityexpo.com), a Rede Ibérica de Cidades Inteligentes.
Trata-se de uma iniciativa que pretende dar escala global e promover a partilha de conhecimento, tecnologia e políticas com vista à resolução de problemas comuns.

A rede será composta pelas 41 cidades da Rede Espanhola de Cidades Inteligentes (RECI) e pelas 25 cidades portuguesas que integram a RENER, Rede de Inovação Urbana, que gere os projectos na área da mobilidade eléctrica.

Desta forma, será dado um passo importante, “para desenvolver acções conjuntas e direccionadas ao desenvolvimento das Smart Cities na Península Ibérica”, referiu José António Teixeira, Coordenador da RECI, numa intervenção integrada no Workshop “O Futuro das Cidades, as Cidades do Futuro – Desafios e oportunidades para projectos urbanos inovadores no contexto Latino – IberoAmericano”. Uma iniciativa por sua vez integrada no XV Congresso Latino – IberoAmericano de Gestão de Tecnologia – ALTEC 2013 que decorreu este ano na cidade do Porto, e que juntou dezenas de especialistas, investigadores e professores de instituições de renome desta área geográfica do globo.

“A aposta é nas sinergias e partilha do conhecimento e soluções para problemas comuns”, acrescentou Catarina Selada, da INTELI – Associação Inteligência e Inovação, que dirige o processo de implementação em Portugal de uma “Rede de Cidades Inteligentes” que vá mais além das questões de mobilidade e energia “como foi quando se deu a génese da RENER em 2009”. “Estamos agora perante outros desafios que se colocam para as cidades e temos de encontrar soluções junto dos nossos vizinhos e parceiros europeus e globais para os enfrentar”, acrescentou a responsável.

Cataria Selada revelou também neste evento, que será apresentado em Barcelona, no momento da criação da Rede Ibérica, “um ‘roadmap’ de empresas e serviços com capacidade inovadora e criatuva para ajudar os municípios a desenvolver os seus projectos integrados neste conceito de Smart Cities”, disse.

Já Íñigo de la Serna, alcaide de Santander que preside à RECI, referiu à imprensa que “Espanha Portugal não só partilham um espaço físico como é a Península Ibérica como também um interesse comum no desenvolvimento cada vez mais intenso das cidades” nas áreas culturais, sócias e claro também da tecnologia, “colocando a inovação ao serviço dos cidadãos e impulsionando o sector produtivo gerando actividade económica e emprego nos nossos respectivos territórios”, acrescentou.

A partir da futura Rede Ibérica de Cidades Inteligentes se promoverão, conjuntamente, contactos das cidades inteligentes portuguesas e espanholas com outras cidades europeias, bem como da América Latina e África.

Vitor Pereira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*